05/01/2018 09:02 – Abuso e exploração sexual infantil: saiba como denunciar

Abuso e exploração sexual infantil: saiba como denunciar

O Poder Judiciário gaúcho lançou, em 2017, a campanha Abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes – O problema é nosso! Denuncie!. Com o desafio de desvelar um crime complexo e cruel, a iniciativa visa a quebrar esse ciclo silencioso, que deixa marcas profundas nas vítimas. A ação tem como parceiros Ministério Público Federal, Polícia Federal, Ministério Público Estadual, Defensoria Pública do Estado, Polícia Civil e OAB/RS.

A titular da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude, Juíza-Corregedora Andréa Rezende Russo, que coordena a campanha, destacou a necessidade de promover ações que incentivem a denúncia dos casos às autoridades competentes. “Um dos motivos de criarmos a campanha é a constatação de que os casos não são sequer notificados. Queremos que toda a sociedade se envolva neste tema: famílias, profissionais que lidam com crianças e adolescentes e, principalmente, os educadores. A porta de entrada das suspeitas dos crimes sexuais contra os jovens é a escola”, ressaltou a magistrada.

Conforme levantamento da Corregedoria-Geral da Justiça, tramitam no Poder Judiciário 3.074 processos envolvendo crimes contra a liberdade sexual de crianças e adolescentes, dos quais, 1.354 na Comarca de Porto Alegre. No ano passado, o Disque 100, serviço nacional vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos, recebeu mais de 77 mil relatos de violação dos direitos infanto-juvenis, sendo a violência sexual um dos mais frequentes (15.707 casos). Além de os abusadores serem pessoas próximas, do convívio das vítimas, apenas em 30% dos casos há evidências físicas. Nos últimos 4 anos (2012-2016), a Polícia Civil do RS registrou mais de 10 mil ocorrências relacionadas ao crime.

Foco nas escolas

Saber identificar sinais de possíveis agressões é fundamental para dar um basta no ciclo de violência. Um dos focos da campanha é envolver as escolas, onde a temática pode ser trabalhada em sala de aula e junto à comunidade escolar. Isto porque, diante de um caso suspeito ou confirmado de abuso ou exploração sexual, os educadores devem dar o apoio inicial às vítimas e notificar às autoridades competentes.

Como denunciar?

Para denunciar qualquer caso de violência sexual infantil, é necessário procurar o Conselho Tutelar, delegacias especializadas, autoridades policiais ou ligar para o Disque 100. A Polícia Civil do RS dispõe também dos fones (51) 2131.5700 (para Porto Alegre), 0800 642.6400 e (51) 9.8418.7814 (WhatsApp e Telegram).

Conheça a campanha: Abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes – O problema é nosso! Denuncie!.

EXPEDIENTE

Texto: Janine Souza

Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend

imprensa@tj.rs.gov.br 

 

Let’s block ads! (Why?)

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul

Related posts